GAY BLOG BR by SCRUFF

A Associação de Travestis, Transexuais e Transgêneros do Amazonas (Assotram) emitiu uma nota de repúdio pela “cobertura desumanizada” da imprensa local referente a morte da atriz transexual Manuela Otto, no bairro Monte das Oliveiras, em um motel de Manaus. Segundo um post da Assotram no Facebook, canais não respeitaram a identidade de gênero dela, categorizando-a com “homem”.

“Nossos corpos Trans são, historicamente, invisibilizados e violentados sem a quem recorrer a não ser entre nós mesmas/os. O corpo e a subjetividade de Manu, como era conhecida, foi brutalmente retirado pelo seu algoz, somando-se a desumanização perpetrada pelos veículos midiáticos e o silêncio do Estado materializado na Secretaria de Segurança Pública (SSP/AM), reiterando, conjuntamente, a desimportância e a desvalorização das existências, os sentimentos e os direitos das pessoas transgêneras, que também fazem parte desta sociedade manauense. Exigimos, enquanto Associação de Travestis, Transexuais e Transgêneros do Estado do Amazonas (ASSOTRAM), ESCLARECIMENTO PÚBLICO, RETRATAÇÃO e JUSTIÇA para Manuela Otto” – diz a nota.

Movimento trans repudia tratamento da mídia amazonense quanto a morte de Manuela Otto
Reprodução

A presidente da Assotram, Joyce Lorane, disse que a imprensa de Manaus reflete a transfobia estrutural que há em todo o país: “Manaus reflete muito a realidade desse País. O Estado não dispõe de políticas públicas que trabalhem a pauta da diversidade. Não trabalham a pauta LGBT, e aí a gente tem essa questão da Câmara (Municipal de Manaus) de não querer trabalhar gênero nas escolas e isso vai contra a decisão do STF. E todas essas coisas que acontecem evidenciam mais esse processo de violência. Hoje, as pessoas se sentem mais livres para praticar esses atos”. 

O principal suspeito do assassinato é um policial, que já se entregou a polícia no último dia 14 de fevereiro. Isso porque as câmeras de segurança mostraram o veículo que está no nome dele. Sobre o crime, a polícia emitiu uma nota dizendo que “todos os elementos apresentados durante a ação investigatória serão apurados de forma transparente, respeitando o direito ao contraditório e à ampla defesa”. 

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF (Google Play ou App Store) está disponibilizando gratuitamente a versão PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".