GAY BLOG BR by SCRUFF

Na madrugada desta sexta-feira (21), Rodrigo Mussi do BBB22 utilizou o termo “traveco” para se referir a uma travesti. Tudo começou após o participante relembrar uma história contada por Eliezer mais cedo.

Horas antes, Eliezer contava sobre uma vez que saiu com uma travesti após uma festa. Em certo trecho da conversa, ele nega a existência da identidade feminina de uma pessoa trans.  “A festa acabou, entrei no carro, voltamos para o apartamento… e nisso, a amiga dela – a amiga mulher, a mulher mesmo, tipo assim, que não era uma travesti – arrumou um cara pra ir junto”.

Já no quarto, antes de dormir, Rodrigo relembra a história e diz: “Porr*, Eli, estou tentando dormir, mas estou lembrando do pint* do traveco que você ficou com medo lá, irmão”. Vyni interrompeu e disse: “traveco não”. Maria completou: “É isso aí já não é uma coisa legal que você está falando”.

Rodrigo, então, pediu desculpas e foi ao jardim se juntar com outros colegas. Scooby e Vyni que estavam na área externa da casa e aconselharam o brother a conversar com a participante Linn da Quebrada sobre os termos corretos.

 

Durante a manhã, Rodrigo pediu para conversar com Linn da Quebrada. Na conversa, Rodrigo explicou que falou o termo pejorativo “traveco” para se referir a uma travesti. “Eu não sabia que era pejorativo”, disse o gerente comercial à cantora.

“Até sabe, mas talvez não se ligue. Mas a fala é pejorativa”, deixou claro Linn, que é travesti. “É muito ruim falar algo que sabe que pode ofender”, disse Rodrigo.




Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.

Jornalista gaúcho formado na Universidade Franciscana (UFN) e Especialista em Estudos de Gênero pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

2 COMENTÁRIOS