GAY BLOG BR by SCRUFF

Sendo 31 de março o Dia Internacional da Visibilidade Trans, a Netflix selecionou doze obras, entre séries e filmes, que narram a existência e as vivências de pessoas trans e não binárias. “Com histórias estreladas por quem vive a experiência na pele. Representatividade importa, assim como a necessidade de se ver na tela, não é mesmo?”, ressaltou a assessoria da empresa de streaming ao GAY BLOG BR.

Confira os títulos selecionados pela Netflix:

  • Alice Júnior — Uma garota trans cheia de personalidade luta para ser aceita em uma escola conservadora e para dar os primeiros passos em sua vida amorosa. O filme ganhou três prêmios no Festival MixBrasil.

  • O Mundo Sombrio de Sabrina — Uma nova versão para a origem e as aventuras adolescentes de Sabrina, a Aprendiz de Feiticeira, em uma história sinistra que transita pelo terror, ocultismo e, claro, bruxaria. Além de todos os problemas de Sabrina, a série também acompanha a jornada de autodescoberta feita por Theo Putman, melhor amigo de Sabrina. Theo é um garoto trans que luta contra o mal e ainda arruma tempo para arranjar um namorado.

  • Control Z — Durante uma reunião escolar, um hacker expõe informações privadas sobre os estudantes, gerando pânico e humilhando uma aluna trans – interpretada pela modelo e atriz trans Zión Moreno- . O hacker continua a revelar informações dos alunos, o que causa diversas brigas entre colegas. Nesse meio tempo, a introvertida Sofía Herrera tenta descobrir quem é o hacker antes de se tornar o próximo alvo.

  • A Morte e Vida de Marsha P. Johnson — Enquanto enfrenta uma onda de violência contra mulheres trans, a ativista Victoria Cruz investiga a morte de sua amiga, a lendária Marsha P. Johnson, em 1992.

  • Revelação — Este documentário é um retrato inédito e esclarecedor sobre a representação de pessoas trans no cinema e na TV, mostrando como Hollywood ao mesmo tempo reflete e cria ansiedades profundas relacionadas à questão de gênero. Pensadores e artistas trans importantes, como Laverne Cox, Lilly Wachowski, Yance Ford, MJ Rodriguez, Jamie Clayton e Chaz Bono explicam suas reflexões e resistências a algumas das cenas mais amadas de Hollywood.

  • Laerte-se — Este documentário brasileiro conta a história da brilhante cartunista Laerte e nos convida a conhecer seu mundo, refletindo sobre sua  longa trajetória de autoaceitação como mulher.

  • Rosa e Momo — Neste belo filme estrelado por Sophia Loren, a atriz interpreta uma ex-profissional do sexo e sobrevivente do Holocausto que usa seu apartamento como lar para os filhos de outras mulheres que trabalham na cidade portuária de Bari, na Itália. Uma dessas mulheres, Lola, é interpretada pela atriz trans espanhola Abril Zamora.

  • Orange is the New Black — Condenada por ter transportado dinheiro de drogas para a ex-namorada há dez anos, a, agora, certinha Piper Chapman tem que cumprir um ano e meio de prisão e enfrentar a realidade nada fácil da vida atrás das grades. Uma de suas colegas detentas é Sophia Burset, mulher trans que assumiu o posto de cabeleireira oficial do presídio. A atuação de Laverne Cox na série como Sophia fez com que ela fosse a primeira pessoa trans a ser indicada a um prêmio Emmy.

  • Pose — Ambientada na cidade de Nova York dos anos 1980, a série mostra seus personagens – interpretados por um talentoso elenco de atrizes trans –  vivendo as diversas cenas sociais da cidade, incluindo a cultura dos bailes e a relação entre as casas Abundance e Evangelista. Com a ativista e escritora Janet Mock trabalhando como roteirista e produtora e Our Lady J atuando nos bastidores como produtora, a série retrata a história de seus personagens queer e trans de modo realista.

  • A Vida Moderna de Rocko: Volta ao Lar — Após viver no espaço por aproximadamente 20 anos, Rocko e seus amigos tentam se adaptar a uma vida ainda mais moderna em O-Town, onde existem cafeterias em todas as esquinas, food trucks vendem tacos de várias camadas, um quiosque de impressão instantânea substituiu seu  antigo emprego na loja Mundo dos Quadrinhos, e energéticos radioativos transformam consumidores em mutantes. Boa parte da trama deste novo episódio envolve Rocko e seus amigos tentando encontrar Rachel Cabeção, que fez o processo de transição enquanto eles estavam no espaço. A forma pela qual a série mostrou os pais de Rachel aceitando a filha trans foi elogiada por diversas organizações LGBTQIA+.

  • Sense8 — Das criadoras de “Matrix” e “Babylon 5”, as irmãs Wachowski duas mulheres trans,  esta série de ação segue oito desconhecidos que passam a compartilhar sentimentos e habilidades enquanto tentam evitar seu extermínio. Uma desses oito desconhecidos  é Nomi Marks, blogueira política, ativista hacker e mulher trans lésbica com muito orgulho, que usa seu talento como hacker para ajudar o grupo a fugir de seus inimigos.

  • Crônicas de São Francisco — Inspirada nos livros de Armistead Maupin, a série conta a história de um excêntrico grupo de jovens queer que moram no número 28 da rua Barbary Lane. Nesta família de amigos está Jake Rodriguez, homem trans que embarca em uma jornada de autodescoberta para encontrar as nuances de sua orientação sexual. A série também mostra uma trama sobre a jovem Anna – Jen Richards – e sua melhor amiga Ysela, mulher trans na década de 1960, interpretada por Daniela Vega.

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF (Google Play ou App Store) está disponibilizando gratuitamente a versão PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.