Diversos filmes, incluindo vários com temática LGBTs, estão disponíveis gratuitamente no streaming do Telecine Play durante este período de incentivo à quarentena voluntária.

Pensando nisso, decidimos trazer a você as sinopses referente aos longas-metragens que de modo direto ou indireto retratam o universo LGBTQIA+. Para ter acesso ao benefício, que é válido por 30 dias, é preciso fazer um cadastro no site TelecinePlay como se estivesse assinando ao serviço.

1 – Me Chame Pelo Seu Nome

O jovem Elio está enfrentando outro verão preguiçoso na casa de seus pais na bela e lânguida paisagem italiana. Mas tudo muda com a chegada de Oliver, um acadêmico que veio ajudar a pesquisa de seu pai.

2 – Boy Erased: Uma verdade anulada

O jovem Jared, de apenas 19 anos, mora em uma pequena cidade conservadora do Arkansas. Ele é gay e filho de um pastor da Igreja Batista. Em um certo momento de sua vida, Jared é confrontado pela família e precisa escolher entre arriscar perdê-la ou entrar em um programa de terapia que busca tentar “curar” sua homossexualidade.

3 – 45 Dias Sem Você

Ao sofrer uma grande desilusão amorosa depois de aguardar por 45 dias um amor que nunca retornou, o jovem Rafael (Rafael De Bona) decide romper as próprias barreiras e embarca em uma inesperada viagem para superar a separação com seu ex-namorado. Seu objetivo principal é ir até três locais diferentes, encontrar com três amigos que também optaram por abandonar suas vidas por outras razões.

4 – A Lei do Desejo

Um diretor de cinema homossexual conhece um belo jovem, e os dois passam a noite juntos. No dia seguinte, está convencido de que foi um encontro casual e diz ainda estar apaixonado por seu namorado. O amante não entende e revela seu lado possessivo.

5 – Tinta Bruta

Pedro é um jovem que tenta sobreviver em meio a um processo criminal, à partida da irmã e aos olhares que recebe sempre que sai na rua. Sob o codinome GarotoNeon, Pedro se apresenta no escuro do seu quarto para milhares de anônimos ao redor do mundo, pela internet. Com o corpo coberto de tinta, ele realiza performances eróticas na frente da webcam. Ao descobrir que outro rapaz de sua cidade está copiando sua técnica, Pedro decide ir atrás do mesmo.

6 – O Príncipe Feliz

Oscar Wilde (Rupert Everett) é um dos nomes mais importantes da literatura. Apesar dos grandes feitos na carreira, esse influente escritor, poeta e dramaturgo, teve uma vida curta. Condenado a dois anos de prisão, Oscar Wilde contemplou sua liberdade por apenas três anos antes de vir a falecer. Agora, as lembranças e pensamentos dele formarão um retrato dos últimos dias do escritor. Apesar de não ser um filme diretamente ligado ao mundo dos LGBTs, o Oscar Wilde é homossexual.

7 – Capote

O romancista de Nova York Truman Capote lê sobre o assassinato de uma família do Kansas e decide cobrir a história. Acompanhado por Harper Lee, sua amiga de infância, Capote viaja até lá e logo ganha a confiança do agente que lidera a investigação pelo assassinato. Assim como o filme anterior, ele não é um longa diretamente focado no universo dos LGBTs, mas o Capote era gay.

8 – Um Estranho no Lago

Um lago usado como praia nudista é destino de lazer da comunidade homossexual. Um frequentador conhece no local um novato, mas não sabe que ele é muito perigoso.

9 – Meus Dias de Compaixão

Filha de um homem no corredor da morte, uma jovem se apaixona por uma mulher que está do lado oposto da luta política que sua família está enfrentando. Em meio a hostilidades e desconfianças, elas tentam lidar com a estranha paixão enquanto buscam descobrir possíveis razões secretas para a recente aproximação, que pode envolver segredos sórdidos.

10 – As Herdeiras

Chela (Ana Brun) e Chiquita (Margarita Irún), herdeiras de famílias abastadas do Paraguai, vivem da venda de seus bens. Quando Chiquita acaba presa por dívidas jamais acertadas, a até então submissa e reclusa Chela precisa se virar e começa por acaso a prestar serviço para um grupo de senhoras ricas como motorista. Logo a nova realidade, e especialmente a exuberante Angy (Ana Ivanova), a quem conhece durante o trabalho, afetam os interesses, prioridades e atitudes da taxista amadora. Este entra na temática dos LGBTs por retratar histórias de lésbicas.

11 – Loucas Noites com Emily

A vida da poeta Emily Dickinson (Molly Shannon), uma mulher vivaz e irreverente que viveu à frente de seu tempo. Durante anos, ela manteve um relacionamento escondido e à distância com Susan (Susan Ziegler) por meio de cartas. Posteriormente, Emily descobre que a mulher que ama está de casamento marcado com ninguém menos que seu irmão.

12 – Lola Pater

Após a morte de sua mãe, o jovem Zino, decide procurar por seu pai, que há 25 anos abandonou a família e voltou para a Argélia. Zino se surpreende ao descobrir que ele nunca saiu da França e que agora se chama Lola.

13 – Os Sonhadores

Em 1968, o jovem Matthew vai estudar em Paris, onde conhece os gêmeos Isabelle e Theo. Os três logo se tornam amigos, dividindo experiências e relacionamentos, enquanto Paris vive a efervescência da revolução estudantil.

14 – Saindo do Armário

Os amigos Michael e Matty decidem perder a virgindade até o baile de formatura. Entre tanta pressão, Matty assume que é gay. Michael aceita a orientação sexual do amigo e o ajuda no desafio de arrumar um namorado.

15 – Stonewall – Onde o Orgulho Começou

No fim dos anos 1960, um adolescente começa a descobrir novas ideias políticas e as dificuldades da vida adulta, às vésperas da rebelião de Stonewall, quando a comunidade dos LGBTs enfrentou a polícia de Nova York. Não deixe de conferir também a história completa do caso.

16 – Ashley

Ashley é uma adolescente perturbada que enfrenta sérios problemas toda vez que tenta interagir com as pessoas. Ela então descobre que suas dificuldades não surgiram por acaso, mas são fruto da não aceitação de sua sexualidade. Com o tempo, Ashley desenvolve fortes laços com uma mulher mais velha, com quem mantém uma relação pela internet. Esse relacionamento ajuda a jovem a aceitar sua orientação sexual e a superar a solidão.

17 – Procura-se Amy

O criador de uma revista em quadrinhos conhece a mulher perfeita, mas descobre que ela é lésbica. A amizade entre os dois se transforma em algo mais quando ele confessa o seu amor, mas segredos do passado dela ameaçam a relação.

18 – Philomena

Irlanda, 1952. Philomena Lee (Judi Dench) é uma jovem que tem um filho recém-nascido quando é mandada para um convento. Sem poder levar a criança, ela o dá para adoção. A criança é adotada por um casal americano e some no mundo. Após sair do convento, Philomena começa uma busca pelo seu filho, junto com a ajuda de Martin Sixsmith (Steve Coogan), um jornalista de temperamento forte. Ao viajar para os Estados Unidos, eles descobrem informações incríveis sobre a vida do filho de Philomena e criam um intenso laço de afetividade entre os dois. Este é o segundo filme com temática LGBTs a ter destaque no Oscar de 2018.

19 – Notas sobre um Escândalo

Barbara Covett (Judi Dench) é uma professora solitária e dominadora, que controla com mão de ferro os alunos de uma decadente escola pública de Londres. Barbara vive apenas com seu gato, Portia, não tendo amigos nem parentes. Sua vida muda quando a escola em que trabalha contrata Sheba Hart (Cate Blanchett) como a nova professora de artes. Sheba parece ser a amiga com que Barbara sempre sonhou, atenciosa e leal. Porém quando Sheba passa a se envolver com Steven Connolly (Andrew Simpson), um de seus alunos mais jovens, esta amizade torna-se perigosa, pois Barbara ameaça revelar seu segredo para o marido dela, Richard (Bill Nighy), e para todos à sua volta.

20 – Deusas em Fúria

Um grupo de amigas se reúne em Goa, Índia, na casa de Frieda (Sarah-Jane Dias) para que ela possa contar uma surpresa. freida vai se casar. Em uma despedida de solteiro improvisada, elas discutem sobre suas carreiras, vidas sexuais e segredos em meio a vizinhos intrometidos e assediadores de rua.
E você? Qual seu filme com LGBTs favorito? Diga sua opinião!
Google Notícias
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".