Drama gay ‘Tinta Bruta’ é o grande vencedor do Festival do Rio 2018

Tinta Bruta Brasil, 118 min, português, ficção, 2018 estreia 06 de dezembro.

O longa Tinta bruta foi o grande vencedor do 20º Festival do Rio. Com cerimônia de premiação no Cine Odeon, na Cinelândia, o filme de Filipe Matzembacher e Márcio Reolon levou os troféus de melhores filme, roteiro, ator e ator coadjuvante.

tinta bruta
Foto: Reprodução

O drama narra a história de Pedro, um jovem gay que tenta sobreviver em meio a um processo criminal, à partida da irmã e aos olhares que recebe sempre que sai na rua. Sob o codinome GarotoNeon, Pedro se apresenta no escuro do seu quarto para milhares de anônimos ao redor do mundo, pela internet. Com o corpo coberto de tinta, ele realiza performances eróticas na frente da webcam. Ao descobrir que outro rapaz de sua cidade está copiando sua técnica, Pedro decide ir atrás do mesmo.

O filme também está no circuito do Festival Mix Brasil, que começa esta semana em São Paulo.

Confira abaixo a lista dos ganhadores:
  • Troféu Redentor – Melhor Filme – Júri Oficial: “Tinta Bruta”, de Filipe Matzembacher e Márcio Reolon
  • Troféu Redentor – Melhor Filme – Júri Popular: “Deslembro”, de Flavia Castro
  • Troféu Redentor – Melhor Documentário – Júri Oficial: “Torre das donzelas”, de Suzanna Lira
  • Troféu Redentor – Melhor Documentário – Júri Popular: “Torre das donzelas”, de Suzanna Lira
  • Troféu Redentor – Melhor Direção de Ficção: João Salaviza e Renée Nader Messora, por “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos”
  • Troféu Redentor – Melhor Direção de Documentário: Suzanna Lira, por “Torre das donzelas”
  • Menção Honrosa Direção de Documentário: Daniel Gonçalves, por “Meu Nome é Daniel”
  • Troféu Redentor – Melhor Atriz: Ítala Nandi, por “Domingo”
  • Troféu Redentor – Melhor Ator: Shico Menegat, por “Tinta Bruta”, e Valmir do Côco, por “Azougue Nazaré”
  • Troféu Redentor – Melhor Atriz Coadjuvante: Eliane Giardini, por “Deslembro”
  • Troféu Redentor – Melhor Ator Coadjuvante: Bruno Fernandes, por “Tinta Bruta”
  • Troféu Redentor – Prêmio Especial do Júri: “Azougue Nazaré”, de Tiago Melo
  • Troféu Redentor – melhor roteiro: Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, por “Tinta bruta”⠀
  • Troféu Redentor – melhor montagem: André Sampaio, por “Azougue Nazaré”
  • Troféu Redentor – melhor fotografia: Renée Nader Messora, por “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos”⠀
  • Melhor curta pelo voto popular: “Você não me conhece”, de Rodrigo Séllos
  • Melhor curta pelo júri do Festival do Rio: “O Órfão”, de Carolina Markowicz
  • Menção Honrosa curta-metragem: “Universo Preto Paralelo”, de Rubens Passaro
  • Novos Rumos – melhor curta: “Lembra”, de Leonardo Martinelli⠀
  • Novos Rumos – melhor filme: “Ilha”, de Ary Rosa e Glenda Nicácio
  • Novo Rumos – Prêmio Especial do Júri: “Inferninho”, de Guto Parente e Pedro Diogenes⠀
  • Novos Rumos Menção Honrosa: “Mormaço”, de Marina Meliande
  • Novos Rumos Menção Honrosa: Eduarda Fernandes pela atuação (Luna, de Cris Azzi)
  • Novos Rumos Menção Honrosa: Alexandre Amador pela atuação (Vigia, de João Victor Borges)
  • Novos Rumos Menção Honrosa: Verónica Valenttino pela atuação (Jéssika, de Galba Gogóia)
  • Prêmio Felix – Especial do Júri: “Inferninho”, de Guto Parente e Pedro Diogene⠀
  • Prêmio Felix – melhor longa documentário: “Obscuro Barroco”, de Evangelia Kranioti⠀
  • Prêmio Felix – melhor longa ficção: “Sócrates”, de Alex Moratto⠀
  • Troféu Suzy Capó – Personalidade Felix do ano: Saulo Amorim, presidente nacional da Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas.
  • Prêmio Mostra Geração: “Shade – Entre bruxas e heróis”, de Rasko Miljkovic, filme da Sérvia em parceria com a Macedônia.
  • Prêmio FIPRESCI: “Deslembro”, de Flavia Castro

Festival Mix Brasil 2018: programação completa com datas, horários de exibições e trailers