História de mãe que descobre que o filho é ator pornô gay vira documentário

Documentário português “Até que o Pornô nos Separe", de Jorge Pelicano, preza pela pela luta contra a discriminação sexual

Associação de Mães e Pais pela Liberdade de Orientação Sexual e Identidade de Gênero (AMPLOS) de Portugal acaba de premiar o documentário “Até que o Pornô nos Separe”. O longa acompanha uma mãe ao descobrir que o filho é ator pornográfico gay.

No centro da história está a portuguesa Eulália, católica e conservadora, moradora nos arredores do Porto. Ela inicia um processo de aproximação ao filho após ter descoberto que ele, emigrado na Alemanha, é o primeiro ator porno gay português premiado no exterior.

Eulália: descobertas

Após a revolta e desgosto, aquilo que poderia ser uma história marcada pelo conflito e pela não aceitação, acaba por se tornar numa viagem de transformação da mãe, que, como a própria diz no documentário, precisava de “sair do armário” e aceitar as escolhas do filho.

ator pornô
Eulália, em cena do documentário. Reprodução

DESCOBERTA

Em um programa de TV em Portugal, Eulália explicou detalhadamente como descobriu e encarou o fato de ter um filho ator de filmes para adultos.

“Comprei um livro para aprender a mexer em computadores”, contou Eulália, que pretendia aprender a trabalhar com novas tecnologias. Sem que a família tivesse noção, a mãe foi aprendendo a lidar com computadores e recebeu a notícia que “nem queria acreditar” que fosse real.

ator documentário portugal
O filho Sydney. Foto: Reprodução

“Apareceu uma entrevista do meu filho a um jornal português dizendo que era gay desde os 15 anos. Eu olhei para aquilo e disse: ‘não pode ser’”, recorda. “Aquilo foi terrível”. Eulália enviou mensagens ofensivas ao filho Sydney Fernandes, que a bloqueou nas redes sociais.

Após um tempo de afastamento, a mãe decidiu visitar o filho na Alemanha e conheceu a realidade de Sydney.

“Cozinhei para ele e seus amigos, porque eu sei o que o meu filho gosta, como uma mãe. Os colegas iam lá comer e um até pediu para levar as sobras”, recorda Eulália. Ainda pondera que quem precisou “sair do armário” era ela mesma.

“Quero lá saber o que as pessoas dizem ou deixam de dizer. Quero é agradar ao meu filho”, lembra, explicando até os momentos em que chegava ao cabeleireiro. Dizia: “Boa tarde minhas senhoras, tudo bem? Chegou a mãe do Sydney. O meu Sydney está na Alemanha, artista pornô, faz bons filmes. Assim ninguém me punha problemas.”

A apresentadora finaliza: “Um lição às pessoas com preconceito e infelizes”.

Cartaz “Até que o pornô nos separe”

Com informações de TVI, site oficial e Sapo.pt.