Destaque no SXSW Film Festival, longa libanês ‘Martyr’ argumenta homoerotismo com Islamismo

O longa "Martyr" é dirigido por Mazen Khaled, um cineasta libanês abertamente gay. Foi recentemente nomeado para o Queer Lion Award no 2017 Venice International Film Festival.

O SXSW Film Festival chega à 25ª edição e apresenta sua curadoria de filmes até dia 17 de março. A programação traz uma seleção diversificada de narrativas inovadoras, documentários, estreias e, claro, os grandes favoritos de festivais do mundo todo.

Martyr. Foto: reprodução
Martyr. Foto: reprodução

Na categoria “Global“, um filme libanês está tendo uma projeção merecida: “Martyr“,  longa que contracena a intersecção do machismo, homoerotismo e Islamismo. Gravado em uma cidade litorânea em Beirute, o enredo começa em torno de um jovem de origem humilde que se afoga no mar.

Foto: reprodução
Foto: reprodução
Foto: reprodução
Foto: reprodução

Na tradição islâmica, o afogamento é considerado motivo para o martírio – por isso o nome do filme (“Martyr”). O enredo é uma tentativa vazia de um grupo marginalizado evocar heroísmo e mitologia para compensar a morte, lutando para participar dos ritos e cerimônias de sua comunidade e expondo os cismas e as falhas que dividem a sociedade. Assista ao trailer:

Para ver todos os filmes selecionados, basta entrar neste link.

O longa tem 84 minutos é produzido pela Slingshot Films e dirigido por Mazen Khaled, um cineasta libanês abertamente gay No elenco estão Hamza Mekdad, Moustafa Fahs, Hady Bou Ayash, Rashad Nasereddine, Raneem Mourad, Rabih el Zahr, Yara Abou Haidar, Selim Mourad e Carol Abboud.

Com informações de queerty.com