GAY BLOG BR by SCRUFF

A peça “Música para cortar os pulsos“, que estreou em 2010, ficou três anos em cartaz e ganhou o prêmio APCA de Melhor Peça Jovem. Posteriormente, o espetáculo ganhou uma versão audiovisual sob o título de “Música Para Morrer de Amor”. Exibido em Festivais como o NEW FEST – Festival de Cinema LGBTQ+, de Nova York, 52º Festival de Brasília e 27º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, o longa-metragem agora ganha versão literária assinada por Rafael Gomes, que também dirigiu o filme.

No enredo, três jovens na casa dos vinte anos vivem com intensidade, como nas canções sentimentais, os clichês românticos. Isabela sofre por um coração partido, Felipe quer muito se apaixonar e Ricardo, seu melhor amigo, está apaixonado por ele.

No prefácio, Vinicius Calderoni escreve: “Este livro é de uma generosidade ímpar: raras são as publicações que aglutinam uma matriz e a sua adaptação em outra mídia. Vale tanto como objeto de estudo para iniciados, quanto como artefato de fruição. O roteiro de Música para morrer de amor é uma aula de transposição entre linguagens, que só poderia ser empreendida por um artesão que maneja com desenvoltura as ferramentas dos dois ofícios.”

A publicação, que está prevista para a primeira quinzena de março, inclui também um ensaio ficcional inédito sobre a chegada do autor aos 40 anos, caderno especial de fotografias e documentos e playlists comentadas.

RAFAEL GOMES

Com formação em Cinema, Rafael Gomes dirigiu curtas-metragens famosos, como o sucesso virtual “Tapa na pantera”; assinou o roteiro de mais de 90 episódios de séries para a televisão e internet, com destaque para “3 Teresas e Vizinhos”, das quais é também criador; e escreveu os filmes “De onde eu te vejo” (2016) e “45 do segundo tempo” (2021), dirigidos por Luiz Villaça. Os três títulos de sua filmografia como autor e diretor de longas-metragens formam uma trilogia temática sobre amor na juventude, sexualidade e música: “45 dias sem você” (2018), “Música para morrer de amor” (2019) e “Meu álbum de amores” (2021).

Como dramaturgo e diretor de teatro, recebeu os principais prêmios do país, encabeçando mais de uma dezena de peças, entre as quais Um bonde chamado desejo, de Tennessee Williams, e Gota d’Água (a seco), uma adaptação do musical de Chico Buarque e Paulo Pontes. Fundou com Vinicius Calderoni e Isabel Sachs a companhia Empório de Teatro Sortido, ativa há mais de uma década.

Trabalhando com música, foi um dos criadores do projeto virtual Música de bolso (2007-12), com mais de 300 vídeos registrando performances de inúmeros artistas; também dirigiu videoclipes (Arnaldo Antunes, Zélia Duncan), shows e DVDs (Gal Costa, 5 a Seco).

Sua estreia como autor literário foi a transposição para romance de sua premiada série infantojuvenil Tudo o que é sólido pode derreter, publicada em 2011.

Ficha técnica

Título: Música para morrer de amor
Autor: Rafael Gomes
Prefácio: Vinicius Calderoni
Tamanho: 17 x 24 cm
Acabamento: brochura
Nº de páginas: 218 pp
ISBN: 978-65-88104-01-9
Preço: R$45
Editora: Incompleta