GAY BLOG BR by SCRUFF

A peça “Música para cortar os pulsos“, que estreou em 2010, ficou três anos em cartaz e ganhou o prêmio APCA de Melhor Peça Jovem. Posteriormente, o espetáculo ganhou uma versão audiovisual sob o título de “Música Para Morrer de Amor”. Exibido em Festivais como o NEW FEST – Festival de Cinema LGBTQ+, de Nova York, 52º Festival de Brasília e 27º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, o longa-metragem agora ganha versão literária assinada por Rafael Gomes, que também dirigiu o filme.

No enredo, três jovens na casa dos vinte anos vivem com intensidade, como nas canções sentimentais, os clichês românticos. Isabela sofre por um coração partido, Felipe quer muito se apaixonar e Ricardo, seu melhor amigo, está apaixonado por ele.

No prefácio, Vinicius Calderoni escreve: “Este livro é de uma generosidade ímpar: raras são as publicações que aglutinam uma matriz e a sua adaptação em outra mídia. Vale tanto como objeto de estudo para iniciados, quanto como artefato de fruição. O roteiro de Música para morrer de amor é uma aula de transposição entre linguagens, que só poderia ser empreendida por um artesão que maneja com desenvoltura as ferramentas dos dois ofícios.”

A publicação, que está prevista para a primeira quinzena de março, inclui também um ensaio ficcional inédito sobre a chegada do autor aos 40 anos, caderno especial de fotografias e documentos e playlists comentadas.

RAFAEL GOMES

Com formação em Cinema, Rafael Gomes dirigiu curtas-metragens famosos, como o sucesso virtual “Tapa na pantera”; assinou o roteiro de mais de 90 episódios de séries para a televisão e internet, com destaque para “3 Teresas e Vizinhos”, das quais é também criador; e escreveu os filmes “De onde eu te vejo” (2016) e “45 do segundo tempo” (2021), dirigidos por Luiz Villaça. Os três títulos de sua filmografia como autor e diretor de longas-metragens formam uma trilogia temática sobre amor na juventude, sexualidade e música: “45 dias sem você” (2018), “Música para morrer de amor” (2019) e “Meu álbum de amores” (2021).

Como dramaturgo e diretor de teatro, recebeu os principais prêmios do país, encabeçando mais de uma dezena de peças, entre as quais Um bonde chamado desejo, de Tennessee Williams, e Gota d’Água (a seco), uma adaptação do musical de Chico Buarque e Paulo Pontes. Fundou com Vinicius Calderoni e Isabel Sachs a companhia Empório de Teatro Sortido, ativa há mais de uma década.

Trabalhando com música, foi um dos criadores do projeto virtual Música de bolso (2007-12), com mais de 300 vídeos registrando performances de inúmeros artistas; também dirigiu videoclipes (Arnaldo Antunes, Zélia Duncan), shows e DVDs (Gal Costa, 5 a Seco).

Sua estreia como autor literário foi a transposição para romance de sua premiada série infantojuvenil Tudo o que é sólido pode derreter, publicada em 2011.

Ficha técnica

Título: Música para morrer de amor
Autor: Rafael Gomes
Prefácio: Vinicius Calderoni
Tamanho: 17 x 24 cm
Acabamento: brochura
Nº de páginas: 218 pp
ISBN: 978-65-88104-01-9
Preço: R$45
Editora: Incompleta

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os LGBTs que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.