Os transexuais e travestis ganharam o direito de usarem o nome social na carteira de trabalho nesta última terça-feira, dia 11 de agosto. A medida é resultado de acordo entre a Advocagia Geral da União (AGU), Defensoria Pública da União (DPU) e a Secretaria de Trabalho e Previdência Social do Ministério da Economia.

GAY BLOG BR by SCRUFF

A resolução veio após uma ação ingressada na Justiça Federal de Roraima que pedia a inclusão do nome social no documento sempre que fosse solicitado. Pelo acordo, a medida passa a valer para todo o Brasil após um prazo de 180 dias para efetivação.

“Ao tomar conhecimento da medida [em Roraima], a Secretaria de Trabalho e Previdência Social entrou em contato com a DPU no estado, sugerindo a proposta de um acordo. Isso porque as providências reivindicadas no processo já estavam em andamento no órgão”, diz a nota da defensoria.

Pessoas trans passam a ter o direito de utilizar nome social na carteira de trabalho
Reprodução

Em entrevista ao Huffpost Brasil, a diretora de promoção dos direitos LGBT do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos do governo Bolsonaro, Marina Reidel, diz que o ministério deseja se aproximar de empresas para intensificar ações de empregabilidade.

“Não adianta você pensar ‘ah, vamos criar capacitação’, se você não dialogar com a empresa que vai abrir a porta para empregar a população LGBT. Mesmo dentro desses lugares a gente encontrar uma série de violações seja no crachá, seja o nome, seja no vestiário. A gente precisa se aproximar dessas empresas que querem dialogar.”

Um levantamento realizado pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais aponta que 90% da população trans busca na prostituição sua fonte de renda devido a ausência de oportunidades no mercado de trabalho, oriunda de uma marginalização das pessoas que, em muitos casos, são excluídas durante o processo de escolarização.

Ainda hoje, a carteira de trabalho assinada, nome social respeitado e autonomia para utilizar o banheiro que as representa continua sendo uma exceção na vida das pessoas trans.

‘Acham que eu poderia influenciar os filhos a serem gays’, conta professora trans do Maranhão

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".