De férias no Recife (PE), o colunista Eliseu Neto e o namorado, Ygor Higino, chamaram um carro pelo aplicativo 99 no último sábado, 04. E deste fato surge uma nova luta contra a homotransfobia.

Foto: Renato Ramos/TV Globo
Ygor e Eliseu – Foto: Renato Ramos/TV Globo

“Estávamos dentro do carro e o motorista do aplicativo nos mandou descer, que não queria ‘aquilo’ dentro do carro. Quando eu fui tirar foto da placa do carro para reportar ao aplicativo/empresa, o motorista disse que chamaria a polícia”, relata Eliseu.

E a história ainda não acabou: “De forma surreal, o policial já chegou de modo agressivo. Pedi para que ele se acalmasse e se identificasse. A resposta foi um empurrão. Levantei e disse que ele não poderia tratar NINGUÉM daquela forma. Fui empurrado novamente. Foi uma cena surreal”.

Eliseu Neto entrou em contato com a empresa do aplicativo e com a Polícia Militar. Via Twitter, o app 99 respondeu:

“Olá, Eliseu! Sentimos muito por toda essa situação. Nossos serviços são voltados para todes as pessoas, independente de raça, gênero, cor, etnia, religião, nacionalidade, orientação sexual ou classe social. A atitude do motorista não foi de acordo com nossas diretrizes e nem com o que aceitamos e acreditamos. Sendo assim, estamos à disposição por DM para que você nos envie seus dados cadastrados no app. Também dispomos de uma Central de Segurança funcionando 24 horas, com um time especializados em casos especiais. O número de contato é o 0800-888-8999. Pode nos contatar por onde se sentir mais confortável. Esperamos que casos como o seu não voltem a ocorrer, seja com você ou qualquer outre usuárie de nossa plataforma. Estamos disponíveis para ajudá-lo nesse caso. Trabalhamos para que todes se sintam confortáveis e segures em nossas corridas. Não deixaremos esse tipo de atitude passar. Estamos com você! Reiteramos que esse tipo de atitude não é aceito pela 99. Seguimos com todas as informações repassadas à você em nosso contato e informamos que, após análise, o motorista foi descredenciado do app. Estamos à disposição e desejamos melhores momentos à você e seu namorado”, escreveram no sábado.

“Temos muita luta pela frente. Se isso acontece comigo, cheio de privilégios, imagina o quanto isso acontece com quem não tem como reagir”, diz Eliseu.

Promotor assumirá denúncia de Eliseu Neto após episódio de homofobia em Recife
Foto: reprodução

ÓRGÃOS COMPETENTES DE PERNAMBUCO ACOMPANHAM O CASO

A denúncia não ficou apenas nas redes sociais. O caso também está sendo acompanhado pelas emissoras SBT, Record e Globo. Maxwell Vignoli, Promotor de Justiça de Recife, se dispôs a assumir a denúncia contra o policial. Vignoli é conhecido pela atuação na garantia de direitos LGBTI no Ministério Público. Em 2017, o Promotor também tomou frente no caso da estudante recifense Daniela Martins, vítima de ameaças nas redes sociais após postar uma foto de biquíni.

Também estão acompanhando o caso a Coordenadoria LGBT do estado de Pernambuco e a AMAPE – Associação dos Motoristas de Aplicativos de Pernambuco.

Fui vítima de homofobia, sim | Eliseu Neto