Capixaba de Iriri, o ator Bruno Meneguelli foi surpreendido por sua mãe com uma homenagem bastante “pintosa” ao mudar o visual de uma casa da família.

“Certo dia minha mãe me disse: Bruno, precisamos pintar a casa de novo lá do centro, qual cor pintaremos dessa vez?! E eu disse brincando: pinta um monte de cor logo, faz a bandeira LGBT rsrsrs… E não é que ela fez isso mesmo?!”, contou Bruno em seu Twitter.

Mãe pinta a casa com as cores da bandeira LGBT+ para homenagear filho gay
Reprodução @bruno_meneguelli
Mãe pinta a casa com as cores da bandeira LGBT+ para homenagear filho gay
Reprodução @bruno_meneguelli
Mãe pinta a casa com as cores da bandeira LGBT+ para homenagear filho gay
Reprodução @bruno_meneguelli
Reprodução @bruno_meneguelli

A casa arco-íris no Espírito Santo fez o ator se sentir aceito e amado:

“Eu agradeço tanto a Deus pela família maravilhosa que tenho! Que me respeita, apoia e me amam de verdade (pelo menos quase todos). Sei que pra muitos isso não passará de uma bobeira eu estar dizendo isso aqui. Mas pra mim é uma vitória e conquista muito grande comigo mesmo de estar falando sobre isso. Me escondi e me calei durante muito tempo da minha vida em relação a minha sexualidade (a pessoa que sou e sempre fui), por medo do que as pessoas pensariam ou agiriam. E tenho absoluta certeza que foi o maior erro da minha vida: me preocupar com a opinião alheia. Foi aí que descobri que opinião de ninguém vale mais do que a minha FELICIDADE. Mas agora é hora de lutar e enfrentar esse mundo preconceituoso em que vivemos. Principalmente aqui, no Brasil, que é o país em que mais mata pessoas LGBTQIA+ no mundo. VOCÊS TEM NOÇÃO DISSO? Humanos matam outros humanos por simplesmente não gostarem do que os outros fazem com o próprio corpo. ISSO É UM ABSURDO! Não vamos mais nos calar. A dor é grande. Mas não vamos desistir! Ps: Antes de saírem falando qualquer coisa a meu respeito na rua, tomem cuidado. Pois homofobia agora é crime. E assim, termino esse texto dizendo: RESPEITO ACIMA DE TUDO, DEUS ACIMA DE TODOS! Bandeira de arco-íris.”

Relações homoafetivas entre índios eram comuns antes da colonização