William Dorsey Swann nasceu em 1858 em Maryland, nos Estados Unidos e, por ser negro, era escravo mesmo sendo uma criança. Curiosamente, algum tempo depois da abolição da escravatura em 1863, ele se tornou a primeira pessoa a se autodenominar “queen of drags”, provavelmente se originando daí o termo “Drag Queen” para designar o estilo artístico que conhecemos hoje.

Antes, a palavra “Drag Queen” surgiu pela primeira vez nas anotações de William Shakespeare, identificando os atores que interpretavam personagens femininos em espetáculos em meados de 1590 a 1613.

A expressão “Queen of Drags”, por Swann, teria sido usada pela primeira vez por volta de 1880. Ele foi preso inúmeras vezes pela polícia por se vestir como drag queen e, em um dos encarceramentos, ficou 10 meses na cadeia pela falsa acusação de “manter uma casa desordenada”, referência a um suposto bordel que ele comandava.

Foto: Reprodução

Swann recorreu da sentença e pediu perdão ao presidente Grover Cleveland, sendo este negado. Apesar disso, ele acabou se tornando um símbolo do pioneirismo da causa LGBTQIA+ nos Estados Unidos, até porque em uma das vezes em que foi preso, ele gritou com o tenente responsável pela prisão “Você não é um Cavalheiro”, um ato considerado extremamente corajoso, ainda mais considerando a época.

Curiosamente, ele também organizava bailes para que outras drags se apresentassem, sendo estes outros ex-escravos que iam para dançar e se “vestirem como rainhas”.

Foto: Reprodução

PRIMEIRAS DRAGS

Pela Europa, também surgiram os primeiros homens a se vestirem como drag queens no fim do século XIX: Frederick Park e Ernest Boulton, que eram as drags Fanny e Stella, respectivamente. Nessa época, as drags ainda eram marginalizadas, e os homens travestidos eram presos sob o argumento de “abominável crime de sodomia” ou prostituição.

Já no início do século XX, as drags se unem às primeiras comunidades LGBTs, que na época eram, em sua maioria, bares clandestinos ao redor do mundo, mas houve um “longo caminho” até serem respeitadas e vistas como expressões artísticas.

Com informações de Hypeness e Fashionbubbles. Agradecimentos a Erick Silva, estudante de História das Artes pela Unifran.

Concurso de arte drag oferece R$ 50 mil como premiação

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".