GAY BLOG BR by SCRUFF

Os 24 postos de salvamento da orla do Rio de Janeiro receberão as cores do arco-íris a partir de junho, como comemoração ao Mês do Orgulho. O objetivo da prefeitura é evidenciar que o Rio é uma cidade que respeita a diversidade e diversas ações serão pensadas para reafirmar a sua condição gay friendly. As informações são da Veja Rio.

Os postos, do Leme ao Pontal, vão ser decorados nas suas duas faces com as cores da bandeira LGBT e com palavras de ordem contra o preconceito. A palavra “amor” estará escrita em seis idiomas e esta também fará parte da intervenção criada pelo órgão de turismo.

24 postos de salvamento da orla do Rio de Janeiro ganharão as cores do arco-íris
Reprodução
Sem Crivella, Prefeitura do Rio faz ação para promover cidade como LGBTfriendly
Sem Crivella, Prefeitura do Rio faz ação para promover cidade como LGBTfriendly
Reprodução
Reprodução
Reprodução
Reprodução

RELEMBRE O “SÓ TEM B1CH4 NA CIDADE” NO BOB´S DO RIO DE JANEIRO

Em 2014, o jornal O Globo publicou uma história curiosa de um senhor homofóbico. A cena ocorreu no Bob´s do Largo do Machado, no Rio de Janeiro. Um senhor se recusou a ser atendido por um funcionário transsexual. No que o gerente, gay, pôs a mão na cintura e disse “Homofobia é crime!”.

A polícia foi chamada e, para a surpresa do senhor, o PM também era homossexual. “Só tem b1ch4 nessa cidade?”, disse o senhor. O homem acabou sendo levado à 10ª DP, em Botafogo, onde foi autuado por desacato à autoridade e crime de homofobia.

Vale dizer que homofobia vem de  “homo”, pseudoprefixo de homossexual com “fobia”, palavra grega que significa “medo” e “aversão irreprimível”. A homofobia se caracteriza por uyma série de atitudes e sentimentos negativos em relação a pessoas homossexuais, bissexuais e, em alguns casos, contra transgêneros e pessoas intersexuais. As definições para o termo referem-se variavelmente a antipatia, desprezo, preconceito, aversão e medo irracional. A homofobia é observada como um comportamento crítico e hostil, assim como a discriminação e a violência com base na percepção de que todo tipo de orientação sexual não-heterossexual é negativa.

Entre as formas mais discutidas estão a homofobia institucionalizada (por exemplo, patrocinada por religiões ou pelo Estado), a lesbofobia (a homofobia como uma intersecção entre homofobia e sexismo contra as lésbicas), e a homofobia internalizada, uma forma de homofobia entre as pessoas que experimentam atração pelo mesmo sexo, independentemente de se identificarem como LGBT.




Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"