GAY BLOG BR by SCRUFF

This article is also available in: Español

O jogador profissional de rugby australiano, Israel Folau, conhecido por suas falas homofóbicas baseando-se no fato de ser evangélico, recebeu inúmeras cenas de pornôs gay de um colega após entrar no grupo de WhatsApp da equipe Catalans Dragons. A informação veio do coach do time, Andrew Webster, durante uma entrevista de rádio. As informações são do Queerty.

“Logo que ele [Folau] entrou para o [time] Catalans, ele entrou no grupo do WhatsApp com todos os outros jogadores. Aí Jimmy Maloney [outro jogador do time], começou a bombardeá-lo com pornôs gay”. 

A revolta dos seus colegas de equipe se deu porque, em 2018, Folau fez uma série de comentários homofóbicos e transfóbicos nas mídias sociais, dizendo que todos estão “condenados ao inferno a menos que se arrependam de seus pecados”, se baseando no livro de Coríntios, capítulo 6, versículos 9 e 10.

Na época, ele foi suspenso dos campeonatos profissionais pela Rugby Australia, e ele chegou a fazer uma campanha de financiamento coletivo no “GoFundMe” para conseguir pagar os custos do processo e também sustentar sua família. Ao conseguir levantar quase US$ 500 mil, a campanha foi desativada pela própria plataforma, que disse não concordar com seu posicionamento homofóbico.

Em 2020 ele conseguiu assinar contrato com a já citada Catalans Dragons.

Jogador de rugby homofóbico é bombardeado com pornôs gay
Reprodução

A BLINDAGEM RELIGIOSA PARA HOMOFOBIA

A Bíblia é, até hoje, um livro utilizado para fundamenta posicionamentos homofóbicos com base na “palavra de Deus”. Em geral, utilizam o livro de Levítico (capítulo 2, versículo 22) para condenar a homossexualidade masculina dizendo que: “A união entre dois homens como se fosse a união de um homem e uma mulher é algo abominável”. 

Já no livro de Coríntios, citado por Folau, diz que os efeminados não herdarão o reino de Deus, mais uma vez fazendo uma analogia a homossexualidade masculina.  No entanto, um artigo publicado por Vitor Angelo no extinto canal Blogay, dá dez razões colocadas pelo reverendo Jim Rigby da Igreja Presbiteriana de Austin, no Texas, pelas quais os cristãos deveriam ter um outro olhar sobre a homossexualidade:

  • 1 – Se Jesus não mencionou um assunto, este não pode ser parte de seus ensinamentos.
  • 2 – Você não está sendo perseguido quando é prevenido de perseguir os outros.
  • 3 – A verdade não é como um vinho que fica melhor com o tempo. A verdade é como o maná: você deve reconhecê-lo onde estiver e com quem estiver.
  • 4 – Você não pode falar de “privilégios” quando alguém exige ter os mesmos direitos que você já tem.
  • 5 – Quando você está prejudicando alguém, não se trata mais de suas “crenças pessoais”.
  • 6 – O casamento é uma cerimônia civil, o que o torna um direito civil.
  • 7 – Se a maneira como se estimula uma discussão pública tem se tornado o norte de sua moralidade, você é quem está perdido.
  • 8 – Para condenar a homossexualidade, você deve citar partes da Bíblia que você mesmo não obedece. Qualquer um que obedecesse todo o Levítico estaria agora na prisão.
  • 9 – Se não fizemos a coisa certa em nosso tempo, nossos netos olharão para nós com a mesma vergonha que olhamos para nossos avós racistas.
  • 10 – Quando Jesus proibiu seus seguidores de julgar os outros, isso incluía você.

This article is also available in: Español

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF (Google Play ou App Store) está disponibilizando gratuitamente a versão PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".