GAY BLOG BR by SCRUFF

Os organizadores da Parada do Orgulho LGBTQIA+ de Nova York proibiram o Departamento de Polícia local de participar do desfile anual de junho até o ano de 2025, alegando que sua aparência ameaçava os membros da comunidade. As informações são do CNN Brasil.

“A Parada do Orgulho de NY busca criar espaços mais seguros para as comunidades LGBTQIA+ e BIPOC [pessoas indígenas e negras, na sigla em inglês] em um momento em que a violência contra grupos marginalizados, especificamente comunidades BIPOC e trans, continua a aumentar,” disse a Heritage of Pride, organização sem fins lucrativos que planeja eventos do Orgulho de Nova York, em uma declaração no sábado.

Polícia será banida da Parada LGBTQIA+ de Nova York até 2025
Polícia será banida da Parada LGBTQIA+ de Nova York até 2025 – Reprodução

Os organizadores entendem que a segurança dos policiais hoje em dia é desnecessária, e a própria organização está treinando uma segurança privada com líderes comunitários e voluntários.

“A sensação de segurança que os policiais devem proporcionar pode ser ameaçadora, e às vezes perigosa, para aqueles em nossa comunidade que são frequentemente alvos de força excessiva ou sem motivo. A Parada de NY não está disposta em contribuir de nenhuma forma para criar uma atmosfera de medo ou dano para os membros da comunidade.”

Apesar disse, a Heritage of Pride disse que acionará a polícia de Nova York “apenas quando for absolutamente necessário” e “conforme determinado pelas autoridades municipais”, de acordo com o comunicado.

Polícia será banida da Parada LGBTQIA+ de Nova York até 2025
Polícia será banida da Parada LGBTQIA+ de Nova York até 2025 – Reprodução

Após 50 anos, polícia de Nova York se desculpa pelo episódio de Stonewall

A violenta batida policial no Stonewall Inn, em Nova York, em 1969, é considerada como um marco no movimento pelos direitos dos LGBT+. Até pouco tempo, as autoridades policiais se recusavam a admitir que o comportamento dos policiais e a invasão em si não se justificavam, deixando uma desconfiança ao longo dos anos entre a polícia e os defensores da causa.

Visit The USA
O bar Stonewall Inn. Foto: Visit The USA

Em 2019, após 50 anos do evento, foi feito um pedido oficial de desculpas em nome do Departamento de Polícia de NYC pelas ações dos policiais durante a batida em Stonewall. James P. O’Neill, encarregado do NYPD, disse em um evento que “as ações tomadas pelo Departamento de Polícia de Nova York estavam erradas – simples assim”.

stonewall
James P. O’Neill durante o evento. Foto: GettyImages

Em nome dos funcionários do Departamento de Polícia, incluindo o próprio O’Neill, o delegado ofereceu o pedido formal de desculpas pelo culpa que negaram por anos:

“Acho que seria irresponsável passar pelo mês do Orgulho LGBT e para não falar dos eventos no Stonewall Inn em 1969. Eu sei o que aconteceu não deveria ter acontecido. As ações e as leis eram discriminatórias e opressivas e, por isso, peço desculpas”, disse O’Neill.

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os LGBTs que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"

1 COMENTÁRIO

  1. […] Vale lembrar que os organizadores da Parada do Orgulho LGBTQIA+ de Nova York proibiram o Departamento de Polícia local de participar do desfile anual de junho até o ano de 2025, alegando que sua aparência ameaçava os membros da comunidade. Os organizadores entendem que a segurança dos policiais hoje em dia é desnecessária, e a própria organização está treinando uma segurança privada com líderes comunitários e voluntários. Continue lendo. […]