Com o isolamento social, muitos restaurantes dos Estados Unidos estão usando a criatividade para oferecer opções de retirada e entrega de pedidos. Um dos restaurantes que tem se destacado é o Fiddlehead, em Michigan City, que contratou drag queens para fazer a entrega das refeições. O serviço, chamado de “Dragside Pickup”, funciona aos sábados e a entrega pelas drags é feita na calçada do estabelecimento.

“Pensamos que seria uma boa ideia alegrar o dia de algumas pessoas que fazem pedidos com algo um pouco diferente e um pouco divertido”, disse Aaron O’Reilly, proprietário de Fiddlehead, que exige que as drags usem máscaras e luvas para contenção ao coronavírus.

A Fiddlehead é uma empresa de propriedade e operação de LGBTQ+ e está aberta há cinco anos. Para conferir o menu, basta entrar neste link.

Coletivo LGBT+ vende máscaras estampadas para enfrentamento ao coronavírus

Coletivo vende máscara para enfrentamento ao coronavírus

Com a escassez de máscaras cirúrgicas por conta do coronavírus, o diretor executivo do Programa de Emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, tocou no assunto do uso de máscaras caseiras: “Em certos contextos, utilizar esses itens para cobrir as vias aéreas serve como barreira mecânica e não é uma má ideia”.

Para atender essa demanda, o coletivo POCs começou a fabricar máscaras com estampas temáticas para a comunidade LGBT+. Com malha sublimática de 100% poliéster, dupla camada de tecido e acabamento costurado e presilha em elástico a máscara possui 22x11cm (parte mais fina 9 cm) e é lavável/reutilizável. Cada peça custa de R$ 20 a R$ 22,40 e são 28 modelos e podem ser adquiridas neste link sem sair de casa.

Google Notícias