O apresentador Sikêra Jr., da RedeTV, assumidamente fã de Bolsonaro, foi condenado a pagar 30 mil reais de indenização à modelo trans Viviany Beleboni, que em 2015 representou Jesus crucificado durante a Parada do Orgulho LGBT de SP.

- CURTA A PÁGINA DO FACEBOOK -

Siqueira usou a imagem de Viviany ao tratar de um crime cometido por um casal de mulheres lésbicas. Na reportagem, Sikêra exibiu a foto de Beleboni e disse: “Isto é um lixo, uma bosta, uma raça desgraçada”. A informação foi divulgada pelo colunista Rogério Gentile, da Folha de S. Paulo.

Além da indenização,o juiz Sidney da Silva Braga também determinou que a imagem da modelo seja retirada da reportagem sobre o crime, que foi postada no YouTube. O vídeo também foi compartilhado por pessoas como Marco Feliciano.

Atriz Viviany Beleboni encena crucificação de Jesus Cristo na 19ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, em 2015 - Avener Prado/Folhapress
Atriz Viviany Beleboni encena crucificação de Jesus Cristo na 19ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, em 2015 – Avener Prado/Folhapress

A decisão, no entanto, ainda cabe recurso.

COVID EXISTE

No mesmo programa, Sikêra também chegou a debochar da gravidade do coronavírus e criticou o distanciamento social, mas mudou de opinião ao contrair o covid. “A gente acha que só pega fogo na casa do vizinho, e a vida me deu essa lição… Não subestimem a doença, não façam o que eu fiz, não façam, não subestimem, é até mais sério do que eu me imaginava. Se cuidem, se cuidem”, disse ao informar que estava com COVID.

Google Notícias