This article is also available in: Español

GAY BLOG BR by SCRUFF

As pessoas trans da Casa Transformar, no bairro Grande Bom Jardim, em Fortaleza, estão recebendo aulas de jiu-jitsu gratuitamente, com o objetivo de trabalhar a proteção física das pessoas e também promover debates sobre o esporte. A oficina é ministrada pelo professor Milton Leite e mais quatro voluntários.

As aulas são divididas em dois momentos: em um primeiro, há os conceitos teóricos e as pessoas trans precisam refletir sobre o jiu-jitsu, para quando utilizar as técnicas e toda a discussão moral e ética relacionada ao esporte. Em um segundo, é a aula prática.

“Fazemos essa discussão para que a gente possa se aproximar mais. Dedicamos aos temas transversais, como preconceitos, nomenclaturas corretas, toda uma parte teórica sobre o mundo trans e o esporte. Depois, a gente passa para a prática. as aulas não são adaptadas, aplicamos tudo do esporte”, explica o professor Milton Leite, responsável por ministrar as aulas.

Professor de jiu-jitsu dá aulas gratuitamente para trans aprenderem a se defender
Arquivo pessoal

Além de ensinar aos transgêneros sobre defesa pessoal, Milton também diz que o ambiente está sendo uma aula para ele: “A cada treino existe uma quebra de paradigmas. É um contato físico muito intenso. Aos poucos, todo mundo vai vendo que o respeito vale para todos. Existem momentos muito legais nessa troca. Eu desafiei elas no jiu-jitsu e elas me desafiaram no bate-cabelo”, brinca.

Milton quer que o curso seja alongado e pretende que o esporte permaneça no abrigo mesmo depois da oficina. “A ideia é que ele seja bem alongado. Fico lá até que algum aluno da Casa esteja pronto para reproduzir o mesmo trabalho que eu levei para lá”, diz.

Já a ideia de levar o jiu-jitsu aos transgêneros veio quando Milton conheceu as ações da Casa Transformar: “Começamos a conversar por Instagram em março. Mas veio a pandemia e tivemos que parar a negociação. Voltamos agora em outubro depois de uma rodada de doações de equipamentos”, relembra – “Eu atuo há 20 anos em diversos projetos [solidários]. As pessoas me perguntam o motivo e eu respondo sempre que faço tudo o que posso para me aproximar de alguns grupos e tirar as pessoas da rua” – completa.

Com informações do G1

This article is also available in: Español

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".

1 COMENTÁRIO