Coordenadoria de Reintegração Social de Guarulhos certifica reeducandos no programa “Beleza no Cárcere”

Curso de quatro meses especializou sete reeducandos LGBTQI+ da Penitenciária José Parada Neto

Durante quatro meses, reeducandos LGBTQI+ da Penitenciária José Parada Neto, de Guarulhos, participaram do “Beleza no Cárcere”. A iniciativa, da Coordenadoria de Reintegração Social, contou com maquiadores profissionais teve como objetivo dar a oportunidade de profissionalização para que esses profissionais tenham autonomia financeira após o cumprimento da pena.

Coordenadoria de Reintegração Social de Guarulhos certifica reeducandos no programa 'Beleza no Cárcere'
Foto: divulgação

Ao longo das semanas, que totalizaram 60 horas-aula, diferentes voluntários estiveram à frente da arrecadação dos produtos e materiais necessários para o curso e prepararam uma turma que, ao final, formou sete alunos. A ação contou com a elaboração de uma apostila com abordagens práticas e teóricas, incluindo os conteúdos passados em aula.

Coordenadoria de Reintegração Social de Guarulhos certifica reeducandos no programa 'Beleza no Cárcere'
Foto: divulgação

Representando a direção geral da Penitenciária José Parada Neto, Maria Isabel Hamud, diretora de Reintegração Social do estabelecimento penal, agradeceu a iniciativa dos voluntários de se aproximarem do cárcere.

“Somos gratos à sociedade civil pela iniciativa de trazer não só um curso, mas também cor e esperança para a unidade prisional. Por meio dessa ação, tivemos a oportunidade de ter uma vivência completa de humanidade”, comenta Maria Isabel.

Paraíba é quarto estado do país com mais presídios com celas para pessoas LGBT

A Paraíba é o quarto estado do país com o maior número de presídios com celas reservadas para pessoas LGBT. São nove unidades prisionais, de um total de 79 penitenciárias em toda a Paraíba. Os dados são de um relatório divulgado nesta quarta-feira (5) pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

A nível nacional, a Paraíba só fica atrás, em números absolutos, de São Paulo, com 51 unidades, Pernambuco, com 11, e Goiás, com dez presídios com alas LGBT. Em relação ao Nordeste, a Paraíba é os segundo estado que melhor atende a esse público dentro dos presídios. Dos nove estados, Pernambuco lidera, logo em seguida vem a Paraíba e depois os números sofrem uma queda enorme. Ceará e Maranhão apresentam duas unidades cada. Alagoas, Bahia e Sergipe apenas uma unidade cada. E o Rio Grande do Norte e Piauí não dispõem de nenhuma penitenciária com ala LGBT. Leia mais na matéria do G1.