A organização da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo decidiu adiar o evento, que aconteceria em junho, para novembro. O motivo se dá pela recomendação da OMS de evitar aglomerações para conter o coronavírus.

Sob o slogan “Sejamos o pesadelo dos que querem roubar nossa democracia”, a 24ª Parada de SP agora está prevista para 22 de novembro de 2020, domingo, com concentração na Avenida Paulista a partir das 10h.

A data coincide com o último dia da 28ª edição do Festival Mix Brasil.

SERVIÇO:

24ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo
Domingo, 22 de novembro – a partir das 10h
Concentração na Av. Paulista (em frente ao Masp)  – São Paulo, SP
Evento no Facebook:
www.facebook.com/events/357900524910000

Agenda

16/11/2020 – Coletiva de Imprensa
19/11/2020 – Prêmio Cidadania em Respeito a Diversidade
20/11/2020 – Feira Cultural da Diversidade
20/11/2020 – Corrida Diversity Run Celebration
20/11/2020 – Encontro de Organizadores de Parada
21/11/2020 – Jogos da Diversidade
22/11/2020 – 24ª Parada do Orgulho LGBT de SP em 2020 – Evento Oficial

Festival Mix Brasil confirma edição 2020 e divulga datas

MANIFESTO DA PARADA 2020

Democracia: Sejamos o pesadelo dos que querem roubar nossa democracia.

Democracia é um regime político que se opõe aos regimes autoritários por possuir eleições livres, liberdade de imprensa, respeito aos direitos civis, liberdade de expressão e liberdade de organização. Já é do conhecimento de todos os constantes ataques que o regime Democrático vem sofrendo nos últimos anos. Para ficarmos em alguns exemplos, vale lembrar o fim dos direitos trabalhistas, a devastação ambiental, os ataques a templos religiosos de matriz africana, livros sendo censurados, sucateamento da cultura, o aumento no número de feminicídios, comunidades indígenas sendo dizimadas, o racismo cada vez mais presente e visível, o aumento das desigualdades sociais e a violação dos direitos humanos da população LGBT+. Os exemplos são intermináveis e acontecem todos os dias. Todos os dias!

Que fique claro: viver num regime democrático nem sempre implica no exercício pleno da democracia. Temos eleições regulares, independência entre os poderes e alternância no poder executivo. Na superfície parecemos uma democracia, mas nos falta conteúdo e nos falta a prática da democracia. O que vemos no Brasil é a polícia que mais mata e que mais morre no mundo, manifestações e protestos sendo reprimidos, acusações sem provas e ressurgimento de simpatizantes de regimes ditatoriais. Palavras que deveriam ter sumido do nosso vocabulário, como nazismo, fascismo e racismo voltaram na teoria e na prática. O Brasil, infelizmente, tem dado mostras que está entre os países cujo apreço pelo regime democrático tem declinado. E a noção do que é viver numa democracia também.

Desde a primeira Parada do Orgulho em São Paulo, a APOGLBT/SP trouxe a público temas importantes que buscaram incluir na agenda política do país uma reflexão a respeito do que é viver numa sociedade mais inclusiva e mais democrática. Temas como educação, saúde, questões de gênero, LGBTfobia e violência foram abordados em diversas Paradas ao longo de 24 anos. Estamos agora, pela primeira vez, diante do desafio de unir não só a comunidade LGBT+, como também, aproximar outros movimentos sociais à nossa luta pela Democracia.

Estamos em um momento que exige por parte da sociedade organizada uma ação coletiva. A APOGLBTSP, organizadora da maior manifestação social e por direitos humanos de rua e que luta por igualdade, diversidade, direitos humanos e por democracia no Brasil vem a público conclamar todas as organizações que têm apreço pelo regime democrático e aos princípios fundamentais a unir forças nos eventos que irão acontecer no mês do orgulho LGBT+ e dizer em alto e bom som: “Sejamos o pesadelo dos que querem roubar nossa Democracia.”

Entre em contato com o comitê organizador da APOGLBT/SP e veja como ampliar as nossas vozes nesse momento crítico. Ajude-nos a combater o silêncio das ruas. Ajude-nos a lutar pela Democracia, antes que seja tarde demais. Quando a democracia corre risco, todos nós estamos em risco.

Google Notícias