Na categoria “Personalidade da Mídia” do POC AWARDS 2019, o jovem Kaique Brito, de apenas 15 anos, foi o vencedor do pelo voto popular. O troféu era disputado por influencers que divertiram e viraram memes pela comunidade LGBT+ durante o ano, como a Masculinah (Arthur Benozzati) e a trans Bianca Alves.

Kaique ficou conhecido por criar vídeos bem humorados fazendo lipsyncs com discursos absurdos que abordavam questões sociais e políticas.

Segundo uma entrevista de Kaique ao canal Eu,Rio! A resposta do público sempre foi muito positiva e ele não esperava tanto engajamento.

“Em 2014, comecei a gravar vídeos nos aplicativos, mas eram dublagens com uma temática diferente. Normalmente, eu dublava músicas. Quando gravei no estilo que faço hoje, deu muito certo” contou.

Ele diz também que mesmo ainda não tendo uma ideologia política, ele tem um posicionamento muito claro sobre o que ele não aprova.

“Eu não entendo muito sobre determinados assuntos que envolvem economia ou gestão pública, mas me posiciono contra aquilo que acho errado, tipo o machismo e a homofobia. O nosso presidente, por exemplo, representa bem tudo isso. Inclusive, quando vejo alguém falando alguma besteira relacionada a essas questões, me inspiro para fazer algum vídeo. Já dá logo vontade de gravar“, revelou.

Brito também diz que procura não se sentir pressionado em fazer determinados tipos de vídeos, procurando manter a criatividade de sempre.

“Eu produzo porque o público gosta e eu também. Ainda continuo gravando vídeos mais leves. Acho incrível ver que pessoas que sempre admirei, agora, também me admiram. Fico feliz e motivado.

É para eles e pensando no público com esse perfil que desejo continuar mostrando minhas ideias. Contudo, evito ficar me cobrando.Já até andei meio neurótico, pensando em produzir mais coisas, mas hoje deixo fluir. Tudo acontece naturalmente.”

Influenciadores como Felipe Neto e Nil Moretto já vieram a público elogiar a atuação de Kaique Brito.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".