Timothy Ray Brown nasceu em Seattle, Washington, e entrou para a história da medicina como o primeiro paciente a ter se curado do HIV. Conhecido anteriormente pela mídia como “Paciente de Berlim”, já que ele contraiu o vírus enquanto morava na Alemanha, ele resolveu se expor ao público em 2010 e hoje em dia rejeita esse título.

“Em 2010, decidi dizer ao mundo meu nome e mostrar meu rosto. Quando as pessoas ainda usam ‘Paciente de Berlim’, eu fico meio irritado. Basicamente, dei permissão para usarem meu nome e disse que estou ok com isso” – disse, segundo o Estadão.

Timothy Ray Brown foi o primeiro paciente a ser curado do HIV (Foto: Reprodução)
Timothy Ray Brown foi o primeiro paciente a ser curado do HIV (Foto: Reprodução)

Primeiro ele enfrentou a AIDS na década de 90, em uma época que ser infectado pelo vírus HIV era quase uma sentença de morte. Já em 2006, ele foi diagnosticado com leucemia, sem relação com o HIV.

Após algumas sessões de quimioterapia sem sucesso, os médicos decidiram fazer uma última tentativa: transplante de medula. Hoje em dia, sabe-se que 1% da população da Europa possui uma mutação genética que a deixa imune ao HIV. Isso porquê o vírus precisa de uma proteína presente no sangue para se instalar e reproduzir, mas algumas pessoas simplesmente não produzem ela, e não se sabe o porquê.

TÉCNICA ARRISCADA E INOVADORA

Foto: Reprodução

Foi aí que os médicos resolveram fazer um transplante de medula com um doador que tivesse essa mutação genética, e que fosse compatível com o Timothy. A ideia foi destruir o sistema imunológico dele, substituir a medula e criar um novo mecanismo de defesa, exterminando a leucemia e o HIV.

A experiência foi parcialmente bem sucedida, já que o HIV foi eliminado do corpo, mas a leucemia não. Fizeram um segundo transplante com o mesmo doador para conseguirem vencer o câncer.

Apesar de se sentir orgulhoso e honrado em ter sido o primeiro paciente a ser curado do HIV, Brown diz que ele é apenas pioneiro, e que não quer ser o único curado.

“Existe muita pressão sobre mim” – disse em entrevista ao Huffpost Brasil“Eu andei por aí dando entrevistas como essas e acabei sentindo que precisava ser um certo tipo de pessoa. Hoje, me sinto mais livre: moro em Palm Sprigs e sinto que posso fazer o que eu quero fazer. No começo, eu impunha alguns limites a mim mesmo, a respeito do que eu poderia fazer, mas depois rejeitei esses limites”.

Atualmente, há um segundo caso confirmado de cura do HIV e rumores sobre um possível terceiro.

O segundo paciente curado do HIV

Google Notícias
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".