This article is also available in: English

- CURTA A PÁGINA DO FACEBOOK -

Veículos de comunicação no Brasil caíram em uma pegadinha do site Bok Daily. Similar ao portal satírico brasileiro Sensacionalista, mas com intenção de clickbait, foi inventada uma história que na Flórida, nos Estados Unidos, um homem teria ejaculado ao fazer exame de próstata e, consequentemente, teria atirado duas vezes no peito de um médico que teria realizado o procedimento.

Doctor Knows Best
“Doctor Knows Best”, filme da produtora Next Door Buddies – Reprodução

Outras “notícias” que o Bok Daily criou são realmente muito criativas, como “Doutor oferece tratamento psiquiátrico para pessoas que acreditam que Covid-19 é causado por 5G“; “Casal perdido no mar diz que sobreviveu bebendo orgasmos femininos“, etc.

A autora da ficção, que assina o texto sob o nome Amelia Mills, ainda não retornou o contato feito pela nossa redação. A única rede social disponível do site é a página do Facebook, com 23 curtidas, com slogan: “Sem fontes, sem fatos”.

É falsa a notícia que cidade da Itália proíbe orgias para conter o coronavírus | Fake News

O ÂNUS E O TABU DOS HOMENS HETEROSSEXUAIS

Não existe uma associação direta entre o homem ter “prazer anal” e o sua orientação sexual. O que caracteriza a orientação sexual de um homem gay é o simples fato de ele sentir atração e desejo sexual por outros homens, seja ele ativo, passivo, versátil, gouinage etc. Apesar de ser algo muito simples de entender, a própria sociedade complica algo que deveria ser fácil.

Já o ânus é uma região erógena com muitas terminações nervosas e que dá prazer a qualquer pessoa, independente de orientação sexual. Então um homem hétero pode sentir prazer com sua namorada/esposa estimulando a região das mais diversas formas.

Já é possível presentear com chocolates no formato do seu ânus!

This article is also available in: English

Google Notícias
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".