O maior fã gringo de Anitta e Pabllo Vittar

Phabullo Rodrigues da Silva, conhecido por seu nome artístico Pabllo Vittar (São Luís, 1 de novembro de 1994), é um cantor, compositor e drag queen brasileiro e já tem fã gringo. Sua primeira aparição na televisão aconteceu em 2014, no programa “Carona”, da TV Integração, ele interpretou a canção “I Have Nothing”, de Whitney Houston. Mais tarde, em 2015, Vittar começou a ganhar atenção nas redes sociais após o lançamento do videoclipe de “Open Bar”, releitura de “Lean On”, de Major Lazer em parceria com MØ. Em menos de um mês, o vídeo atingiu a marca de 1 milhão de visualizações no YouTube, onde ele posteriormente lançou seu primeiro extended play (EP), também intitulado Open Bar.

Em 2017, Vittar conseguiu maior reconhecimento ao lançar seu álbum de estreia Vai Passar Mal, que gerou os singles “Nêga”, “Todo Dia”, “K.O.” e “Corpo Sensual”, além de sua participação na canção “Sua Cara”, do grupo estadunidense Major Lazer.

Nascido em uma família humilde de São Luís, Phabullo é gêmeo dizigótico e possui uma irmã mais velha. Phabullo passou parte da infância e adolescência morando nas cidades de Santa Inês e Caxias ambas no interior do Maranhão, devido a dificuldades financeiras. Ele é filho de uma técnica de enfermagem, a qual foi abandonada ainda grávida pelo pai de Phabullo, que nunca veio a conhecê-lo.

Durante sua infância, Phabullo foi vítima de bullying devido seus gestos delicados e sua voz fina, chegando a ser agredido fisicamente com um prato de sopa quente jogado em seu rosto. Além disso, Phabullo chegou a frequentar aulas de balé durante esse período.

Aos 13 anos de idade, Phabullo começou a cantar fazendo covers em festas de família e apresentações na escola, além de se juntar a um coral de uma igreja católica. Logo em seguida, Phabullo começou a fazer suas próprias composições. Mais tarde, decidiu se profissionalizar na área, mudando-se para a cidade de São Paulo com sua irmã, onde trabalhou em diversos lugares, como lanchonetes e salões de beleza. Logo em seguida, mudou-se para Uberlândia junto com sua mãe, que havia se casado recentemente. Na época, aos 15 anos de idade, se assumiu homossexual para sua mãe, apesar de que ela já desconfiava; sua irmã já sabia sobre sua orientação sexual.