Igreja gera polêmica ao apresentar 1ª obra de arte ‘LGBT inclusiva’

A igreja de São Paulo, na Suécia, apresentou a pintura “Paraíso”, mostrando casais de gays e lésbicas usando folhas de figueiras no Jardim do Éden. Obra de Elisabeth Ohlson Wallin, que é homossexual.

“É com orgulho e alegria que recebemos o Paraíso na Igreja de São Paulo. Precisamos de imagens que se abram para maior inclusão e identificação. Somos gratos à arte de Elisabeth, que nos permite construir uma igreja que mostre  que todos nós, independente de quem amamos e identificamos, somos acolhidos no Paraíso” – disse a igreja em comunicado

O comunicado foi endossado por um dos pastores, que escreveu no Twitter “estamos muitos felizes e orgulhosos”. No entanto, muitos fiéis não gostaram da arte inclusiva.

Igreja da Suécia polemiza com inclusão de casais gays no Jardim do Éden (Foto:Reprodução)
Igreja da Suécia polemiza com inclusão de casais gays no Jardim do Éden (Foto:Reprodução)

A Igreja de São Paulo é conhecida mundialmente por sua contribuição as pautas LGBT+, com celebração de casamentos homoafetivos sendo realizados desde 2007. Já em 2017, os pastores foram aconselhados a não se referirem a Deus usando pronomes masculinos.

No entanto, nem todos os fiéis concordaram com a conduta da Igreja de São Paulo. Uma pessoa expôs no Twitter: “Não impressionado. Não se trata de valores cristão, mas apenas de ativismo político. Vergonhoso!”, enquanto outro disse: “Esta é uma heresia anticristã que abomina o altar e a Eucaristia. Os responsáveis devem ser excomungados”. 

Última Ceia com transexuais (Foto:Reprodução)
Última Ceia com transexuais (Foto:Reprodução)

Essa não é a primeira vez que a autora causa controvérsia entre os fundamentalistas cristãos. Em 2012 ela recriou o quadro “A Última Ceia”, de Leonardo Da Vinci, mas com um jesus Transexual.

Vale lembrar também que em setembro, a Igreja Batista Comunidade da Paz, em Ohio, nos Estados Unidos, nomeou a primeira pastora transexual da história: Erica Saunders.

“Com a ajuda de Deus, podemos seguir o exemplo de Cristo e criar uma comunidade amável marcada pela paz permanente, expansão do amor e a justiça radical em Oberlin e além” – ela disse.