GAY BLOG BR by SCRUFF

Os “entendidos” paulistanos dos anos 90 (assim eram chamados os LGBTs) e os modernos de 2000 certamente têm uma ligação afetiva com as boates Lov.e, BASE e Rose Bom Bom. O empresário Ângelo Leuzzi, 64, fundador das casas noturnas, faleceu nesta quarta-feira, 22 de abril, de infarto fulminante. Seu último projeto noturno foi o Amore Bar e Discoteca.

Lucca Salvatore, filho do empresário com Cláudia Liz, fez um breve depoimento em seu perfil no Facebook: “Pessoal, o que estão falando é verdade. Meu pai faleceu hoje a tarde. Não foi Covid-19. Ele para muitos foi uma pessoa muito importante, assim como foi e sempre será para mim. Estou bem dentro do possível. Assim que passar um pouco do choque eu retomo conversas. Quero que vocês lembrem bem dele, e tudo que ele deixou para nós nesse mundo. Ele será cremado amanhã para eu poder guardar as cinzas (como um funeral não é possível). E assim que tudo isso passar podem ter certeza que faremos um funeral onde todos possam comparecer e contarmos histórias de sua vida. Nesse meio tempo, meio pai era religioso, se puderem fazer uma oração por ele, acredito que ele iria gostar muito. Força a todos. Pai, obrigado por tudo que me ensinou. Sou um homem por sua causa. E levarei seus ensinamentos adiante. Vou te deixar orgulhoso. Eu te amo”.

Leuzzi com o filho Lucca Salvatore – Reprodução

Perfil de Ângelo no Facebook neste link.

BOATES

Inaugurado em janeiro de 1983, seu primeiro empreendimento na noite, o Rose Bom Bom, misturava conceitos de casa de shows, bar e clube para dançar.

Ângelo Leuzzi na cabine do Rose Bom Bom
Ângelo Leuzzi na cabine do Rose Bom Bom – Reprodução

Com inauguração em 12 de junho de 1998 (Dia dos Namorados), o Lov.E teve como mérito levar a cultura do underground para a Vila Olímpia, tradicionalmente um reduto de playboys. A boate trouxe para o Brasil pela primeira vez nomes como Laurent Garnier, Miss Kittin, Ricardo Villalobos, Kenny Larkin, Sven Vath, Slam, Kevin Saunderson, Afrika Bambaataa, The Hacker, Bryan Gee, entre tantos outros.

“As pessoas estavam meio perdidas, o Hell’s havia fechado, e o Ângelo Leuzzi abriu um lugar totalmente diferente, colorido e alegre, que reuniu o povo de novo”, relembra o promoter Oscar Bueno em entrevista de 2004 para a Folha de SP.

Amore Bar e Discoteca

Com a proposta de recuperar a cultura dos clubes clássicos paulistanos das décadas de 1980 e 1990, Ângelo abriu, em 2019 o seu último empreendimento, o Amore Bar e Discoteca, localizado no bairro do Jardim Paulista.

Veja algumas homenagens:

View this post on Instagram

Há exato um ano atrás nós perdíamos um amigo que mais alegrava a vida: partiu o querido #djmauroborges ! amigo que tive o prazer de trabalhar e divulgar várias clubes criados por ele : Nation, Massivo, Discofever e o grupo #quefimlevourobin , com direito até um vídeo clipe na Oscar Freire em pleno dia de semana !! numa época em que a noite Ainda era uma festa ! . Nos últimos anos ele fez várias festas em homenagem aos clubes e pessoas que passaram por essas como festa para o Dj #angeloleuzzi na #nation da histórica galeria América . Essa foto foi da festa de 30 anos do #massivo no club #Cambridge com lotação esgotada .Com ele e comigo na foto a top host @kmirandak que parava TUDO na porta da #nation e do #massivo com seus já esperados looks baphonicos !! Bons Tempos"…!!! . Essa e muitas 📷 da época e outras Boas histórias estarão no meu livro " Os Filhos da Noite" em breve !!! Aguardem !!! 🎼🌈📷🎧🎤🍸🍾💃🏻🕺🏼🕺🏼💃🏻 #clubber #noite #massivo #nation

A post shared by Xicao Alves (@ofilhodabossa) on

https://www.instagram.com/p/B_T0iOnFblW/

DJ Mauro Borges, precursor da cena gay paulistana, morre aos 56 anos