Pastor que diz que Deus pune gays com desastres naturais tem casa destruída por inundação

Tony Perkins teve que deixar casa numa canoa; para ele, enchentes punem casamento gay e aborto.

Um pastor americano conhecido por afirmar que Deus pune gays teve a casa inundada por uma enchente, na Luisiana. 

Um pastor americano conhecido por afirmar que desastres naturais são enviados por Deus para punir gays teve a casa inundada por uma enchente, na Luisiana. Tony Perkins contou que foi obrigado a deixar sua casa em uma canoa com sua família. Ele compartilhou fotos no Facebook e falou sobre o caso em um podcast.

“Isso é uma enchente de proporções quase bíblicas”, disse Perkins ao grupo cristão Family Research Council, polêmico por sua agenda anti-LGBT. “Tivemos que escapar da nossa casa no sábado de canoa. Havia cerca de 3 metros de água na saída da garagem. Nossa casa encheu, nossos carros encheram”, disse.

Em 2015, ele entrevistou o pastor extremista messiânico judeu Jonathan Cahn, que lhe disse que o furacão Joaquin, em sua passagem pelo Havaí no ano passado, era um “sinal da ira de Deus”. Na entrevista, Cahn disse que a tempestade era um sinal de que Deus estava bravo com a legalização do casamento gay e aborto e com a relação entre os Estados Unidos e Israel. Perkins concordou, acrescentando que “Deus está tentando nos mandar uma mensagem”.

O pastor, que chegou a concorrer ao Senado americano, também já chamou a pedofilia de “um problema homossexual”.

Enchentes
A Cruz Vermelha descreveu a enchente em Luisiana como o pior desastre natural nos EUA desde o furacão Sandy, em 2012. Treze pessoas morreram nos EUA e milhares ficaram presas em suas casas e carros.

A cantora Taylor Swift doou US$ 1 milhão para as vítimas: “O fato de tantas pessoas serem obrigadas a deixar suas casas nesta semana em Louisiana é que partir o coração”, disse.

Com informações da BBC