As cinco notícias com iniciativas pró-LGBT mais acessadas em 2019, aqui no site, tiveram o protagonismo de Burger King Brasil, Cargill, Centro de Referência de Belo Horizonte, Coordenação de Políticas para LGBTI da Prefeitura de São Paulo, Felipe Neto e UNAIDS. E foi a partir deste critério que foram selecionados os indicados da categoria “Ativo 19” do Poc Awards.

Na escolha popular, Felipe Neto levou o troféu com 60% dos votos. Na avaliação do júri, o os fatores que levaram a eleger a Coordenação de Políticas para LGBTI da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo se fundamentaram na frequência de atividades, diversidade de iniciativas e articulação com stakeholders.

Saiba quais são as articulações da Coordenação de Políticas para LGBTI da Prefeitura de São Paulo
Reprodução Twitter @PrefSP
Foto: Instagram @politicaslgbti

Iniciativas 2019

Para o evento LGBT+ mais popular da cidade em junho, a Coordenadoria levantou um aporte de R$ 1,87 milhão para o evento. Também coube à Coordenação de Políticas LGBTI a organização, pela primeira vez em São Paulo, da III Assembleia Geral Ordinária Rede Latino-Americana de Cidades Arco-Íris. Ainda no mês da Orgulho LGBT, o departamento participou do 1º Festival Chama, seminário Internacional “Diálogos Setoriais: Políticas Públicas para População Trans no Brasil e União Europeia”, Feira da Diversidade, partida de Rugby contra a LGBTIfobia e Miss Brasil Gay Universo.

Das ativações fixas, o equipamento mantém Centros de Cidadania LGBTI, localizados na regiões Norte, Sul e Leste, com investimentos de R$ 3,5 milhões/ ano, nos quais realiza atendimento de denúncias de discriminação e violência, presta orientação jurídica e social, realiza oficinas de qualificação profissional.

Um dos seus principais programas é o Programa Transcidadania, dirigido às pessoas trans e travestis, com foco na continuidade dos estudos e na empregabilidade, com auxílio financeiro de R$ 1.097,25 mensais para o participante. Atualmente, 200 pessoas participam do programa. A Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania destina ao programa R$ 2,5 milhões por ano.

Entre as ativações mais populares, destacam-se o Casamento Coletivo IgualitárioCaminhada da AIDS e o Mutirão de Retificação de Nome e Gênero para Pessoas Trans e Travestis.

Saiba mais sobre as iniciativas neste link.

políticas para lgbti
Foto: reprodução Instagram @PrefSP