GAY BLOG BR by SCRUFF

This article is also available in: Español

A linguagem molda as crenças e pode influenciar comportamentos. Alguns termos comuns no passado podem hoje ter uma conotação ofensiva ou estar sob olhar preconceituoso. A UNAIDS acredita que a utilização ponderada de linguagem apropriada tem o poder de fortalecer a resposta global à epidemia.

Neste 1º de dezembro, Dia Mundial de Combate ao HIV, veja os termos a serem evitados e as respectivas equivalências:

HIV quando se referir ao HIV e AIDS quando se referir à AIDS

Sempre que possível, utilize o termo mais específico e apropriado  para  o contexto a fim de evitar confusão entre o HIV (um vírus) e a AIDS (uma síndrome clínica). Exemplos de termos incluem: ‘pessoas vivendo com HIV’, ‘prevalência do HIV’, ‘prevenção do HIV’, ‘testagem e aconselhamento em HIV’, ‘doença relacionada ao HIV’, ‘diagnóstico de AIDS’, ‘prevalência de AIDS’ ‘crianças órfãs pela AIDS’, ‘resposta à AIDS’, ‘Programa Nacional de AIDS’, ‘ONG/AIDS’, ‘morte por complicações da AIDS’. Tanto o termo ‘epidemia do HIV quanto o termo ‘epidemia da AIDS’ são aceitáveis. No entanto, o termo ‘epidemia do HIV’ é mais inclusivo.

Não existe “vírus da AIDS”

Não existe o vírus da AIDS. O vírus que causa a AIDS é o vírus da imunodeficiência humana (HIV). Note que a palavra ‘vírus’ na frase ‘vírus do HIV’ é redundante. Utilize apenas ‘HIV’.

Jamais use o termo “aidético”

Além de incorreto, é estigmatizante e ofensivo. Use “pessoa vivendo com HIV”, pessoa soropositiva, HIV positiva ou positiva.

Pare de dizer “infectado com AIDS”

Ninguém é infectado com AIDS; a AIDS não é um agente infeccioso. O termo AIDS descreve uma síndrome de infecções e doenças oportunistas que podem se desenvolver à medida que a imunossupressão aumentar durante a evolução da infecção pelo HIV, da infecção aguda até a morte. Prefira pessoa vivendo com HIV ou pessoa HIV positiva (no caso de saber o estado sorológico).

Não existe “teste da AIDS”

Não existe um teste para AIDS. Utilize o termo teste de HIV ou teste de anticorpos do HIV. Utilizam-se testes de detecção de antígenos em crianças recém-nascidas.

Evite usar o termo “vítima da AIDS”

Utilize o termo pessoa vivendo com HIV. A palavra ‘vítima’ desempodera e estigmatiza. Use a palavra AIDS apenas ao se referir a uma pessoa com diagnóstico clínico de AIDS. É aconselhável dizer que a pessoa foi acometida por infecções ou doenças oportunistas decorrentes da síndrome da AIDS.

Não fale “paciente de AIDS”

Utilize o termo ‘paciente’ apenas ao se referir a um contexto clínico. Neste caso, utilize paciente com doença relacionada ao HIV porque abrange toda a gama de condições clínicas associadas ao HIV.

Não use “risco de AIDS”

Utilize ‘risco de infecção pelo HIV’ ou ‘risco  de  exposição ao HIV’ (a não ser que esteja se referindo a comportamentos ou condições que aumentam o risco da evolução da doença em uma pessoa HIV positiva).

SUBSTITUA SEMPRE:

contaminado(a) com HIVpessoa vivendo com HIV

doença mortal, incurávelsíndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS)

doença venérea / doença sexualmente transmissível (DST)infecção sexualmente transmissível (IST) 

grupos de risco populações-chave / comportamento de risco

portador de AIDSpessoa vivendo com HIV

sexo segurosexo mais seguro

Um exemplo de como as desconstruções vêm evoluindo é esta entrevista de 1988, do programa Cara a Cara, onde a jornalista e apresentadora Marília Gabriela pergunta ao cantor/compositor Cazuza se ele “está aidético”.

Fonte: UNAIDS / Observação: O UNAIDS enfatiza que suas recomendações terminológicas devem ser consideradas um trabalho contínuo, à medida que novas questões e dinâmicas emergem frequentemente. Estas diretrizes podem ser amplamente copiadas e reproduzidas, contanto que esse uso não seja para fins lucrativos e que a fonte seja sempre citada. Baixe o manual completo neste link.

This article is also available in: Español

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF possui mais de 15 milhões de usuários no mundo todo. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os LGBTs que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. Baixe o app SCRUFF diretamente deste link.