Em um vídeo publicado em seu Instagram nesta segunda-feira, 13, o padre Júlio Lancellotti, da Igreja de São Miguel Arcanjo, localizada no bairro da Mooca, em São Paulo, pede perdão às pessoas LGBTQIA+. Em especial ao jovem Michel Glaudemberg, que relatou ter sido humilhado na igreja de sua cidade por se assumir gay.

“Eu queria mandar uma mensagem para um jovem, chamado Michel Glaudemberg. Para você, Michel, eu queria pedir desculpas, se o padre da sua cidade te humilhou quando você revelou a tua condição sexual. Perdão. Perdão, Michel. Ninguém deve ser humilhado. Perdão, para as mulheres trans, para o grupo LGBTQIA. Perdão. Eu tenho recebido muitas mensagens de pessoas que são expulsas das igrejas por assumirem sua condição sexual. Ninguém pode achar que a homofobia vem de Deus. Ninguém pode achar que a LGBTfobia vem de Deus. Isso é pecado. E atenção, padres e pastores que humilham pessoas LGBTs, isso é crime”, continuou.

Assista ao vídeo:

Saiba como assistir às lives do padre que chamou Bolsonaro de bandido

No começo do mês, o padre Edson Adélio Tagliaferro viralizou nas redes sociais ao fazer uma pregação na Igreja Matriz Nossa Senhora das Dores, na cidade de Artur Nogueira, interior de São Paulo.

“Às vezes as pessoas dizem também: ‘Padre, cuidado com o que você fala na homilia, porque tem gente que não gosta’. Ué? O que a gente tem que falar na homilia senão aquilo que Deus nos pede para falar? Se a gente está vendo que o governo não presta, o padre não pode falar que o governo não presta porque o povo não quer ouvir isso? Quem somos nós diante do projeto de Deus? Que tipo de profecia nós temos que fazer hoje? Um país que já chegou a 60 mil mortos pela pandemia e não temos um Ministro da Saúde. Vocês querem que eu fale o quê? Aquilo todos falam: ‘Ah, ele não trabalha porque não deixam ele trabalhar’. Não! É porque ele não presta. Bolsonaro não vale nada. E quem votou nele devia se confessar, pedir perdão a Deus pelo pecado que cometeu, porque elegeu um bandido para presidente. É isso que aconteceu”, disse Padre Edson. Continue lendo.

Saiba como assistir às lives do padre que chamou Bolsonaro de bandido

Google Notícias